Fim!

Fim!

O único medo que há em mim;

É de continuar aqui neste globo.

Que a qualquer hora o fim

pode vir... E acabar com todos.



Já pensou, poeta, como seria?

O povo correndo desesperado

Como se a conclusão na poesia

do português fosse real e o reinado



Do deus acabasse... (Já pensou?)

Este é o meu medo! Nem humanos

Me assombram tantos. Um dia falou:



"Apenas o deus escolhe o fim do mundo...",

— Foi o pastor aos descomedimentos prantos.

De qualquer forma não quero fim profundo.

Nenhum comentário