Ela - Sara

Ela - Sara


                    Texto e poema da autora Sara


ELA TEXTO + POEMA




O corpo feminino é uma advertência, é contestável, é alvo de discussão, é um debate político, é um problema.

É o teu problema.

Porquê que o meu corpo é um problema teu ?

O meu corpo é um oceano, é uma cascata, é um tsunami, é a chuva torrencial.

Tu não podes domá-lo.

O meu corpo, é uma afirmação, é um movimento, é um punho de emancipação.

O meu corpo, é uma arma, é um escudo, é um exército, é um campo de batalha.

O meu corpo, é uma ferida aberta, é uma boca que só geme, é um espaço destinado a ser preenchido apenas por ti.

O meu corpo, é uma colônia, é teu, podes possui-lo, é um jogo, podes pegar, matar e violar.

O meu corpo, está imóvel. Está inconsciente, contudo ainda é tentação.

É um artigo no jornal, é assunto de cartas, é motivo do meu homicídio.

O meu corpo é a minha irmã, a minha mãe, o meu pai, a minha casa.

Tu violaste-me e o meu corpo virou um tecido usado, uma flor esquecida, leite que tu tornaste azedo.

O meu corpo é um mito, é tabu, é um grito que ninguém ouve, é uma verdade, um eco, a escuridão.

O meu corpo está exausto!



POEMA: ELE NÃO SABE


Quando alguém do sexo masculino afirma
Que eu sou elegante, deslumbrante ou até aliciante
Eu não acredito.
Simplesmente dou um sorriso bonito
Contudo finito.

Com isto em mente,
Eu vivo e revivo numa instituição
Onde não importa minimamente
Se sou elegante, deslumbrante ou aliciante

Eu sempre serei a rapariga peluda...

Aquele que afirma e elogia,
Ele não conhece a hipocrisia.
Ele não sabe da sociedade que
Afirma e reafirma para eu ser "eu própria"
Contudo, sem nenhuma anomalia.

Simultaneamente
Ele não sabe do laser e da cera quente
Que têm como único propósito
Substituir a minha pele inocente
Com a exclusiva visão de corpo atraente.

Ele não sabe.
Ele não imagina.
Ele apenas arruína.

Então quando um homem afirma
Que eu sou elegante, deslumbrante ou
até aliciante
Eu esboço um sorriso.

E eu desafio-o
A aguardar
Até os meus pelos crescerem novamente.

-Sara


O corpo de uma mulher não é algo que deva ser "tapado" para obter respeito. Não é um desempenho, não é uma decoração, não é para ninguém, senão para ela. O corpo de uma mulher é dela.
Tu não podes decidir nada sobre ele. Tu não podes comentar se é "bom o suficiente" ou se "adequa aos teus padrões". Tu não tens uma palavra a dizer no que ela deve fazer com ele.

Tu não podes avaliá-lo com base em como alguém poderia usá-lo. Tu não podes possui-lo e muito menos controlá-lo. Tu não podes decidir nada sobre ele.

                        É o corpo dela.
                       
Respeita-o


Texto e poema do livro "Amargura", que se encontrar no wattpad! da autora Sara.

Nenhum comentário