Poema - viagem - Danilo Soares

Aventurei-me como se fosse a ultima
Oportunidade. Joguei meu peito no infinito
 Universo! Encontrei grutas, uma em cima
Da outra! Como um normal ser cógnito 
Conheci a parte interior dos meus cosmos!
Senti, em mim, a beleza da NGC3314a.
Meu caro, na caminhada senti saudosismos
Toques rápidos nas veias! E gritei um "A"
Por lembrar que só senti isto nas ultimas
Paixões. Oh, pena esta! Não sou mais apto
A amar tão a fundo. Sinto pouquíssimas
Paixões agora! Tal, esta adoração que sinto,
É abstrusa e acentuada ao tórax, é inapto,
É baboseira de adolescente preso em distintos.


                    Danilo Soares


0 comentários: