Sonhos - Poema - Danilo Soares

Tantos sonhos que voaram
Ideias deixadas para trás,
Desejos de mudar mais
E mais, mas atrás só ficaram.
Ficou quimeras em outrora!
Ficou igualável a cata-ventos
Que joga fora desenvolvimentos,
Ventos e não deixa voltar no agora.
O medo do presente? É de apenas
Morrer e não ter feito nada para
O mundo. Quero deixar cousas raras.
Quero antes ver todas lendas
Da cidade sendo lidas em claras
Luzes de bibliotecas novas - entenda.

0 comentários: