Cristian Lima - Bate-papo com o poeta!

"Sou como o vento, sou como água: estou sempre em movimento. Sou sempre uma pessoa legal, então se quiser conversar pode chamar. Sou cheio de padrões de escrita e sempre ponho um ponto no final de uma mensagem, sempre mesmo. Eu sou muito alegre e maluquinho, desculpa se você me achar chato. Não estou aceitando pedidos de leitura, porque estou sem tempo para ler. Foi mal.", Cristian Lima.

Cristian Lima



Cristian nasceu no ano de 2002 em Belém do Pará. É poeta e estudante; desde jovem observava seus pais lendo grandes obras de populares nomes da literatura como o romântico Castro Alves. Se encantou com poesias no segundo ano do ensino médio. Seus versos mantém grande musicalidade com rimas ricas e palavras consideradas por alguns leitores como "difíceis". Sendo um bom poeta, o mesmo não costuma explicar seus poemas. 

"Todos estes à minha volta
A minha mente os escolta
Eu escuto seus segredos
Até mesmo seus medos

Eles todos, meus amigos
Mas os que negam, inimigos
São tristes e solitários
E não consigo ajudá-los

Pois não sou melhor que eles
Todo o mal habita neles
Mas no fim, sou a única que vê

Todos esses que me circundam
Vejo que são tristes, mas enfim
Talvez o mal resida em mim"

 — Atualmente seus textos encontram-se vivos na plataforma wattpad, site e app de escritores independentes. Sua obra "POESIAS E POESIAS" já passou da marca de 2 mil leituras no site.    



    "Poesias de todos os tipos e gêneros. Não necessariamente precisa-se explicar o que você, leitor, vai encontrar nesse livro. Sempre gostei de rimar e escrever, então uno os dois e faço poesia."

    Tivemos um pequeno bate-papo com o autor. Segue abaixo a entrevista: 


    1. Atualmente seu livro "Poesias e Poesias" já alcançou mais de 2 mil leituras e 900 votos na plataforma livre de escritores Wattpad. No início qual foi a maior dificuldade para encontrar leitores? 


    R - "Na verdade, eu não tive dificuldade. Quando eu baixei o Wattpad, eu tinha já tinha um acervo de poesias. E então várias pessoas começaram a ler e eu fiquei surpreso. Alcancei o ranking de 8 na categoria de Poesia. Mas é bem difícil manter isso por muito tempo. Mas isso ajudou bastante a trazer leitores. Eu também não me preocupo muito em chamar gente para ler."






    2. Por que "Poesias e Poesias" como título da obra?

    R -  "A ideia era que houvesse dois tipos de obras, a poesia com métrica e musicalidade e aquelas que não se preocupasse menos com isso e mais com os sentimentos e o significado."

    3.  Reparamos claramente que você conserva grandes estruturas da poesia como o Soneto; o grande poeta Vinicius de Moraes, mesmo no modernismo, fez a mesma coisa que você! Isto é: Sempre manteve a musicalidade nos poemas.
    Sendo que estamos na literatura contemporânea, onde não "precisa" mais de métrica, rimas e foi quebrado a arte pela arte; o que te leva a escrever de maneira tão elegante? 

    R - "Eu comecei o 2° ano do ensino médio estudando Parnasianismo, Simbolismo, as poesias Gregorianas. E eu sempre gostei demais disso. Para completar, esse estilo era o favorito da minha professora de literatura. Como eu gostava dela, eu quis impressionar ela fazendo o meu próprio, mas aí com o tempo eu fui ficando melhor e acabei gostando."

    4. Qual seu poeta favorito?

    R - "Cruz e Souza"



    5. Futuramente teremos um livro físico publicado pelo Cristian?

    R - "Sim, eu ainda pretendo fazer isso, mas por enquanto isso continua no papel."

    6. "O poeta é um fingidor", Fernando Pessoa. Concorda? Por quê?

    R - "Isso é uma verdade, no entanto, não em todo caso. É possível o poeta esteja realmente triste, porém, não como ele mesmo descreve em seu poema. Pode ser até que o sentimento em si, até o próprio eu lírico inexistam. Mas também pode haver quem escreva o que realmente sinta."

    7. A poesia na plataforma wattpad vem crescendo cada vez mais. Isto é um avanço para o gênero na literatura! Você acha que isso se deve por esta ser a geração marcada, por muitos, como  "melancólica" ou "romântica"? Ou só pelo motivo de os e-books estarem disponíveis em uma plataforma online e que todo mundo pode procurar e ler o gênero que mais gosta? 

    R - "Pode-se dizer que a facilidade com que se consegue ler um livro hoje em dia possa ajudar no processo de acessibilidade à arte, mas também não é segredo que sempre existiram dois polos dominantes que fizeram e fazem muito sucesso. O polo romântico, e o polo melancólico. E isso tem a ver a identificação do leitor com o sentimento proferido, mas no meu ver, esse ampliação do gênero tem muito mais a ver com a facilidade proporcionada pela tecnologia, mesmo."

    8. Para você, é possível viver de arte nestes tempos modernos?

    R - "A definição de arte é bem complexa. Se consideremos música, uma arte, e funk, música, podemos dizer que é bem fácil sair da pobreza criando uma música e jogando-a na internet. Mas acho que se tratando de literatura, acho que é necessário ter sorte e manter sempre a cabeça funcionando. Vender um livro é sempre bom, mas você sempre vai precisar criar outros e não pode ficar muito tempo parado. Ou seja, é uma tarefa para aqueles que se mantém sempre inspirados."

    09 - Em qual período literário você acha que mais se encaixa? (Te colocaria em uma especie de neo-parnasianismo)

    R - "Talvez. Falo de muitos temas."

    10. Qual sua definição de cultura?

    R - "É uma resposta interna humana para os elementos da natureza e os almejos e perguntas mais primordiais. Os primeiros seres humanos podem ter olhado para uma selva hostil e tido uma percepção única em cada local do mundo. Desta forma, cada tribo ou comunidade desenvolveram crenças, ritos e costumes diversos, além da própria arte, que por si só, responde a um instinto de busca pela felicidade como diria Friedrich Nietzsche: "Temos a arte, para não morrermos da verdade".

    Agradecimentos 


    Grato pelo bate-papo, poeta! Almejamos, aqui no site, em breve resenhar a versão física de tua obra. Mais inspiração e talento sempre. 



    2 comentários: