O cavaleiro da meia-noite - Lenda Rio Tinto Pb

Meia-noite sentindo o impacto do vento no semblante, enjoado com o excesso de álcool e mantendo inconsciência, andava rapidamente a cavalo um senhor zangado com a vida e aborrecido com o próprio silêncio da aldeia.
Vomitou em seu corpo sem nem mesmo perceber que estava se melando.
O tal silencio que lhe aborreceu por alguns minutos foi aniquilado pelo barulho de alguns cachorros da vizinhança. Correndo desesperadamente para atacá-lo os cães o deixava mais zangado.
O alcoólatra xingou os animais e mantendo sua raiva bateu sem pena em seu cavalo, este assustado e com dor, em um grande galope fez o senhor desequilibrar a ponto de quase cair.
Ele, o cavaleiro, segurou firme e gritou deixando sair seu bafo causado pela cerveja que tanto desfrutou na noite.
Mesmo firmemente segurado no cabresto não conseguiu fazer o bicho parar. Cada palavra ordenada pelo seu dono o deixava repleto de horror.
Num rápido momento encontrou-se frente ao mangue. O cavalo entrou batendo nas galhas das árvores e afundando-se no grande manguezal deixando o som das águas fixo para que toda a comunidade o ouvisse.
Depois deste infeliz acontecido os sons das cavalgadas do belo cavalo e das águas que afogou o senhor são ouvidos todos os dias ás 00:00.

Lenda popular da Aldeia Jaraguá, Rio Tinto - PB
Narrado por Danilo Soares.


0 comentários: