Apreciei o livro Solo Sagrado de Joice Cruz!

Apreciei o livro Solo Sagrado de Joice Cruz!

Precisaria de mais que profundos adjetivos para falar da elegante escrita de Joice Cruz. A mesma é autora de contos como A Biblioteca e romances como Enclausurada e Solo Sagrado. Sendo leitor e fã da narrativa da escritora, li não só seus contos na plataforma Wattpad, mas também seus romances. 



Não irei aqui falar da capa, nem diagramação, pois os excelentes leitores já sabem que a editora Hope é dedicada e faz excelentes trabalhos nas obras publicadas por ela.

Solo Sagrado! Este é o romance que no decorrer da história me fez lembrar do belo enredo de Bentinho e Capitu (Do livro Dom Casmurro), por ter cenas relacionadas a infância dos personagens principais e envolvendo o sacerdócio...

Logo nas primeiras páginas da obra, encontramos uma amada personagem chamada Clara, uma violinista que trabalha dedicadamente como professora de um coro junto com o Frei da Catedral dos Anjos. 

Na sequência de capítulos conhecemos o Tomás, sacerdote e professor universitário que é afastado de sua profissão por mostrar seus novos conhecimentos aos alunos.


(Solo Sagrado. Página 20) 

Estando distante da universidade, ele foi mandado para prestar suas funções em sua cidade natal. Aqui reencontra Clara, seu forte amor de infância que esteve por muito tempo fora. Como todo afeto verdadeiro, a cena de reencontro de Tomás e Clara foi uma coisa diferente e uma surpresa — Como encontrar um primo seu depois de anos. 


(Solo Sagrado. Página 27)

Pois é agora que você ainda mais vai grudar no livro! Com a volta de Tomás tudo em Solo Sagrado parece mais 'frenético'. Aos poucos o Sacerdote e a Violinista se aproxima um do outro. E como indaga a sinopse do livro; "terá ele escolhido o amor ou o celibatário?" 


"[...] Muito embora o desejo desenfreado que lhe acometia a alma, até então incólume, esbarrava-se em uma lealdade, a qual conservara anos a fio. Lutava constantemente com o seu dever moral e seu imaculado, pois se imagina fazendo qualquer coisa, menos quebrando seus votos de celibato.", Solo Sagrado. Página 75.
Entramos em uma chuva de sentimentos de dores e alegrias na história escrita por Joice Cruz. O enredo nos faz lembrar de fatos que ocorreram com nós mesmo, colegas ou algum parente que em alguma época amou alguém.

— Claro que tem diversas outras citações e observações na obra que seriam interessantes comentar, mas só quem lê o livro completo sabe como é prazeroso sentir um sentimento em apenas paginas de um exemplar. Solo Sagrado é um daqueles livros que, após a leitura, te faz querer comentar com alguém e passar a tarde toda neste diálogo. 




Nenhum comentário