3 lindos poemas de Cristian Lima

3 lindos poemas de Cristian Lima

 Beatriz


Cala-te a Beatriz formosa de Dante
Que canto à ela que rima Cavalcante
A que entre rios obscuros firma ainda
Que das mágoas se fez em mente linda

E aquele quem seu nome viu mos sabe
Que ser em seu primor é como jade
Não há em reles plagas deste mundo
Nem haverá por vezes mais profundo

Que não de Portugal, mas de Lisboa
O nome que tens posse não à toa
Pois o amor que tens fala-se em palavras

Firmamos ligações tênues, seguramos
Pela alegria de nós que nos amamos
Vivemos pelas plagas já lavradas


O Que Eu Sou

 

Sou a plenitude âmaga ambulante
Blindada pelas palras que o falante
Firmara no instante em que as visitas
Cravaram as trincheiras em sua mente
Ditaram frases, o tom que a alma sente
Que diferem de mi? Andam aflitas
Afirmaram por vezes repetidas
Mesmas frases que no tempo se esvaiu.

Medra as raízes imensas de mil vidas
Com o caule firmado sobre a Terra
A árvore de um tempo que se viu
Sob torpes fez-se em partes; criou ramos
Não miram mis sensos como humanos.

Desentendo os que julgam quem erra
Todos somos de espécie, assi erremos
Se cegos, como almejam demonstrar?
Não atestam, contestam sequer o ar
Porém, mesmo que por fim, erremos
Dar-se-á somente a mim cometê-lo?

 

Não Quero 

 

Não quero a voz que se alevanta
Não quero luz, não quero escuro
Não quero flores, não quero armas
Não quero vida mais, nem menos
Não quero e por afirmar assim
Vivo a brancura, a placidez
Sem saber, sem entender


 

Cristian nasceu no ano de 2002 em Belém do Pará. É poeta e estudante; desde jovem observava seus pais lendo grandes obras de populares nomes da literatura como o romântico Castro Alves. Se encantou com poesias no segundo ano do ensino médio. Seus versos mantém grande musicalidade com rimas ricas e palavras consideradas por alguns leitores como "difíceis". Sendo um bom poeta, o mesmo não costuma explicar seus poemas. 

Nenhum comentário