Poeta Felipe Nascimento Brito - Entrevista

Poeta Felipe Nascimento Brito - Entrevista


"É ornado o redor daquela flor
É um cerco de fita vermelha
Laçado com amor puro e cauteloso]

É uma flor nordestina
Vivendo nas montanhas sulistas
Aguentando o frio amargo de inverno
Apodrecendo longe de sua terra

Protege-te do mundo, flor
O laço de fita há de quebrar algum dia
Constrói o amor pela tua terra linda
Mesmo longe de tuas raízes

A fita é a única lembrança da mãe
Saudade mora no peito
E transborda em forma de lágrimas.
Hoje sou retirante
Mas ao meu nordeste eu ei de voltar", Felipe Nascimento.

Felipe Nascimento brito é um baiano de 19 anos, nascido no interior da Bahia, em uma cidade chamada Itamari, que fica a 300km da capital. Um jovem escritor e um fiel amante da arte e da poesia.

Tivemos uma pequena entrevista com o poeta. Segue abaixo:

1 - O aplicado Amino, que reúne fãs de diversos gêneros (animes, romances, filmes...),  também possibilita autores publicarem seus textos. E você publica seus poemas nesta plataforma. Como é postar versos neste ambiente com grande quantidade de pessoas?

R: "O amino é uma baita plataforma para interagir com outros leitores e escritores. Lá tem autores de diversos estilos e é muito bom isso, pois a gente acaba absorvendo um pouco de cada escritor. As publicações são bem aceitas pelo público, alguns nem sempre são totalmente admiradores de uma certa escrita, mas é uma ótima plataforma pra divulgar pequenos trabalhos poéticos."

2 - Citando patativa,


"Deus quando fez o mundo
Fez tudo com primazia,
Formando o céu e a Terra
Cobertos com fantasia.
Para o Sul deu a riqueza,
Para o Planalto a beleza
E ao Nordeste a poesia."

Realmente o Nordeste é uma terra viva ('abençoada') pela poesia e tem grandes nomes como Augusto dos Anjos, Carlos Dias Fernandes, Castro Alves, Gregório de Matos... E com isso, como você vê a poesia Nordestina na atualidade? Caiu? Deixou de ser grandiosa como era ou cresceu mais?

R: Eu sou um louco apaixonado pelo Nordeste, acho que não existe lugar com tanta cultura e diversidades de sotaques em uma única região. A xilogravura, o cordel e a poesia são artes nordestinas que nunca serão esquecidas pelas pessoas, mas a poesia em si, com tantos autores grandiosos que nosso Nordeste formou são dignos de aplausos. Acho que ainda hoje a nossa poesia continua crescendo, o Bráulio Bessa, poeta cearense, é um dos exemplos que a poesia do nordeste continua viva e nunca perdendo a essência da nossa terra. Tenho certeza que mais autores virão a ser reconhecidos nacionalmente.

3 - Você é baiano! Conte-nos como anda a literatura Baiana nas escolas em seu estado...


R: Bem, a literatura baina é sem duvida uma das melhores. Na prosa tivemos o Jorge Amado, que levou o nome da Bahia e de Ilhéus para o Mundo, com suas obras que foram tão amadas que viraram até novelas. Na poesia tivemos dois grandes poetas que foram os mais conhecidos, Gregório de Matos e Castro Alves, ambos pioneiros da poesia baiana. Mas, hoje, a Bahia investe muito pouco em literatura, as escolas não tratam com o devido valor a literatura baiana e em alguns lugares o incentivo à leitura é baixíssima, algumas cidades do interior chegam a nem ter bibliotecas públicas. 

4 - Felipe, qual seu escritor favorito? E por que o admira tanto a ponto de fazê-lo ser leitor voraz do mesmo?


 R: Sem dúvida alguma, a Clarice Lispector é a minha autora favorita, depois de ler "A hora da estrela", o último livro que ela escreveu, eu me tornei fã dela a ponto de querer ler tudo que ela produziu. 

5 - E esta paixão pela poesia... Como iniciou?

R: A paixão pela poesia começou no segundo ano do ensino médio. Uma professora de português, Eliane, descobriu que eu e meu amigo Robson escrevíamos, daí ela começou a incentivar nós dois a escrever e recitar pra sala e até algumas vezes para a escola. Com o passar do tempo comecei a ler e entender os grandes poetas brasileiros, quando vi já tinha virado paixão não só pela poesia, mas pela arte em geral.

6 - Você já produziu grande quantidade de versos nas redes sociais! Pretende publicar alguma obra futuramente com estes poemas?

R: As redes sociais são os melhores caminhos para um autor moderno atingir um público leitor. Futuramente penso sim em publicar um livro com meus poemas, mas não para obter lucro ou tentar ser um grande poeta brasileiro. Quero publicar meu livro só para ter a sensação única de conseguir concretizar um desejo de escritor, fazer com que a poesia seja divulgada por jovens como nós, e claro, Ser reconhecido pelo que eu faço.

7 - Quais principais incentivos culturais você já concluiu/participou? Como é lutar para mudar algo em uma região?


R: Eu já participei de um incentivo cultural no colégio que eu estudei. Meu amigo Robson e eu sempre somos convidados pelo colégio para falar de poesia e até mesmo recitar poemas que nós escrevemos, porém aqui em nossa cidade por ser pequena, o incentivo a esse tipo de cultura é muito pequena. Lutar pra mudar algo sempre é bem difícil, pois envolve questões políticas, sendo assim, aqui na minha cidade é quase impossível incentivar a cultura.

8 - Cite aqui 5 obras que mudaram sua vida/ que mexeu muito com sua pessoa...


R: "A hora da estrela", da Clarice Lispector. Por tratar de uma história que a personagem principal era nordestina e suas dificuldades ao decorrer da história. "Viagem a Petrópolis", outra obra da Clarice Lispector, mas dessa vez um conto. Uma história triste que eu vi muita realidade. "1984", uma distopia do  George Orwell. Uma das obras mais influentes do século xx, o livro fala de uma sociedade totalmente controlada pelo estado e põe em ênfase os governos totalitários. "O enfermeiro", um conto de Machado de Assis que eu apresentei no ensino médio e que fez eu conhecer esse grande autor que foi o Machado de Assis. E por último o livro "Em algum lugar nas estrelas" da Clare Vanderpool, uma autora norte-americana. Esse livro me fez conhecer um pouco o jeito de pensar de uma pessoa autista, sem contar que é uma história surpreendente.

9 - Em sua visão, a internet pode ser uma ajuda em relação ao incentivo à leitura aos estudantes nas escolas?


R: Com certeza! A internet é um mundo repleto de coisas boas (e ruins também). Foi a partir dela que eu tive acesso a livros, contos e poemas que por meio de livros físicos seria um pouco mais difícil achar.

10 - Qual sua definição de Cultura?


R: Cultura é tudo aquilo que possamos absorver para um melhor aprendizado. A erudição é uma das minhas maiores características, para mim toda forma de cultura, sendo ela boa, é bem vinda. Sou um amante da cultura nacional e principalmente da cultura nordestina. Cultura move o homem e onde quer que você vá ela está. Cultura é vida!!


— A equipe Paixão Melancólica agradece ao poeta Felipe pela excelente entrevista. Desejamos tudo de melhor sempre e que nunca falte a criatividade incrível do mesmo. 

3 comentários :

  1. Caramba vei, que felicidade kkkkk. Sério, chega fiquei arrepiado!! Obrigadoooo paixão melancólica!

    ResponderExcluir
  2. Excelente. Parabéns ao poeta Felipe Nascimento. Poemas muito bons. Parabéns também à equipe do Blog Paixão Melancólica, pelo trabalho.
    👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏

    ResponderExcluir