Retirante - Poema - Felipe N. Brito

Retirante - Poema - Felipe N. Brito

É ornado o redor daquela flor
É um cerco de fita vermelha
Laçado com amor puro e cauteloso]

É uma flor nordestina
Vivendo nas montanhas sulistas
Aguentando o frio amargo de inverno
Apodrecendo longe de sua terra

Protege-te do mundo, flor
O laço de fita há de quebrar algum dia
Constrói o amor pela tua terra linda
Mesmo longe de tuas raízes

A fita é a única lembrança da mãe
Saudade mora no peito
E transborda em forma de lágrimas.
Hoje sou retirante
Mas ao meu nordeste eu ei de voltar

Felipe N. Brito

Nenhum comentário