Vale - Poema - Danilo Soares

Vale - Poema - Danilo Soares

Acordei em nosso Vale.
E Tudo que é sentido
Vejo na minha existência
Perante aqui estando vivo.


E os raios solares
que primeiro atacam
Meu Nordeste brasileiro
Faz-me: amante da natureza,
Mero devaneador jubiloso
E rico mesmo pobre.


Acordei em nosso Vale.
Sim! Meu povo bem me encanta.
A Alegria nordestina
É uma regada planta.


Regada sim. E meu nordeste
Quando mesmo em seca, tem
Sua terra molhada pela bravura
De seu firme povo.
E Tanto a poesia, quanto os rios,
É como a garra de suas pessoas. 


Acordei em nosso Vale.
Mamanguape, Rio Tinto...
E Como quem adora
O primeiro "amor", sinto;


Este mesmo Afeto por meu norte.
Eu 'amo' (sei que amor não existe,
Mas se existe só o tenho por esta
Região - Que expande cheiro
Como o aroma do café na madrugada
Chegando no nariz do leitor.


Acordei em nosso Vale.
E Tudo que é sentido
Vejo na minha existência
Perante aqui estando vivo.


Danilo Soares

(Imagem da internet)

Nenhum comentário