Crise Existencial - Poema - Danilo Soares

Crise Existencial - Poema - Danilo Soares

K K K K K K K.
Rio morrendo com Lágrimas.
Afoguei-me no riacho.
Também sou peixe sem água.
Não tem nenhum grande luxo
Que há de muito confortar-me.
E há Igualdade em vida e Lixo.

Levei-me até a Sr.Morte.
Em versos posso contar.
Disse que sou fracassado
Até pra morrer no mar,
E no Quinto dos Infernos,
Na escola e onde bem parar.

Sou fraco, sou vagabundo,
Sou ainda pior que Satanás.
Ele num existe. Eu existo.
Sou Poeta e também paz
Com as idealizações
Bestas. Mais que o ruim Sou mais.

Acho que sou um Fantoche,
Mas também não. Sou a Carniça
E Que está sempre invadindo
Nariz de Urubu em liça
Com todos outros abutres.
Sou também o azar da justiça.

"Para iludir minha desgraça,
Estudo". O poeta disse.
Mas eu não encontro é: nada,
Nada, e mesmo se dissesse,
Não teria Jeito pra minha
Desgraça que permanece.

Danilo Soares

Nenhum comentário