A adolescência é esquisita - Crônica - Danilo Soares

A adolescência é esquisita - Crônica - Danilo Soares

17 Anos de idade. Se um senhor neste momento falasse que tenho que aproveitar a vida, perguntaria o porquê. Caso ele insistisse que a adolescência é uma fase boa, eu iria negar! Assim como neguei amor a uma garota no fundamental. 
  Não é que eu não goste deste período juvenil, mas é que, em minutos aleatórios, reflito que ele é azucrinante. Por exemplo; levantar e só depois de horas acordar na escola e aqui passar o sufoco de encher-se de vocábulos horrendos já pela manhã; estar a ouvir que andas 'mudado' e que estás a evitar a Maria e o Amadeu; morrer de tédio como o Álvares de Azevedo morria em suas metáforas românticas e, além de tudo, não ter paciência nem para se ver no espelho (e aqui também ter coragem de sussurrar que sois lindo para assim não se sentir baixo).  
   Ah! O mesmo senhor também teria que parar de falar de sexo e que preciso ver o outro lado do mundo, pois se não aproveitar este momento irei perder a melhor fase da vida. Não sei o que é a melhor fase! Mas sei que daqui a 11 anos não irei suspirar e contar: Era feliz e não sabia. Contrário disso, irei dizer que estava indagando: o que são momentos bons?



Nenhum comentário