Como viver - Soneto - Cristian Lima

Como viver - Soneto - Cristian Lima



Faltam-me defeitos o bastante
Para que eu os chame de perfeição
Preciso ter fraco o coração
Para ser forte em tempo restante

As luzes, às vezes, são escuras
Para quem as escolhe com o olho
Quando da chuva provares o molho
Não te afogas; com ela te curas

Com todas as pedras que topastes
Empunhe, construa um prédio em suas hastes
Quando cessar de andar moribundo

É que assomarás o alto do mundo
E serão preciso mil mentiras
Para uma verdade ser mentira

Cristian Lima 


Cristian nasceu no ano de 2002 em Belém do Pará. É poeta e estudante; desde jovem observava seus pais lendo grandes obras de populares nomes da literatura como o romântico Castro Alves. Se encantou com poesias no segundo ano do ensino médio. Seus versos mantém grande musicalidade com rimas ricas e palavras consideradas por alguns leitores como "difíceis". Sendo um bom poeta, o mesmo não costuma explicar seus poemas.

Um comentário :

  1. Muito obrigado pelo carinho a mim cedido por todos o Blog. E obrigado ao Danilo, grande dirigente.
    E...Eu acho que conheço esse poema ☺.

    ResponderExcluir