Entre linhas - Poema - Danilo Soares

Entre linhas - Poema - Danilo Soares

Viajando consciente 
Como Ricky and Morty,
Paramos na casa
Cara na praia.

Há aroma de Kaiak,
Na mesa tem whisky
E versos de Bukowski.
Pose para o story
E refletindo igual Dostoiévski.
És cheia de Hype,
Milhares de seguidores...
Hoje estou R.i.p,
Reviva com carinho,
Dance, pinte, cante
No teu estilo Hip Hop...
Me ponha no ninho,
Apresente samba e rock,
Me faça ser passarinho,
Esqueça esse enredo de morte,
E eu jogo o jogo que quiseres,
E assim canto o canto alegre
Dos canários livres e fortes.

A internet caiu,
Mostro outro mundo.
Sim, te ofereço tudo.
Venero tu dizendo:
"Para, vagabundo".
Hoje vago teu mundo,
Me ofereça teu brilho,
És a lua dos vagalumes
Eu sou só, eu sou o sol,
Mas contigo não há solitude,
Leio as rimas do teu corpo,
Calma, paciência é virtude, 
Juntos faremos Eclipse,
Todo mundo nos admira,
Estamos ainda maior que o topo.
Miro teus olhos e me miras...

Beijos, som alto tocando Don L,
Arrepios, toques, risos, mais taça,
Cheiros, palavrões, referências:
Te amo, desgraça, te amo, desgraça.

É isso, isso é o tempero. Loucura.
Existe a cura. Sou a cura.



Danilo Soares

Nenhum comentário