RESENHA - O Palácio de Inverno

RESENHA - O Palácio de Inverno


Guerras e histórias reais, são dois assuntos de suprema dominância de Jonh Boyne. Em todos os seus livros, conhecemos mais sobre a Alemanha e sobre suas poucas e grandes guerras. Mas assim como em O Garoto do Convés, em O Palácio de Inverno, Boyne faz novamente algo que poucos sabem ao seu respeito: Reproduzir histórias reais de forma fiel e manipuladora ao seu bel prazer.

Em O Palácio de Inverno, conhecemos um jovem russo chamado Geórgui Jachmenev que por "sorte" consegue salavar a vida do grão-duque Nicolau Nicolaeivich, nada menos que irmão do Czar. A partir de então, começamos à navegar por uma história fascinante por diversos lugares pelo mundo à fora. Nessa história conhecmos, também, personagens que influenciaram e muito, nas imensas guerras histórica da humanidade, algo que John Boyne nos apresenta fartamente em qualquer de suas histórias. Este é um romance cheiro de dramas e também de revolta. John nos transporta diretamente para o século XX e consegue nos fazer enchergar exatamente o que acontecia, de forma maestral e equilibrada. Existe um misto de responsabilidade e amor em Geórgui que conseguimos encontrar em nós mesmo, mesmo sendo um personagem fictício controlado e posto dentro de uma história real, conseguimos vivê-lo através da escrita mágica que John faz com seus personagens. Assim como vimos em O Garoto do Convés, através de John Jacob, Geórgui também poderia ser real com seus pensamentos, medos e amores.


Algo que sempre me atraiu às leituras de John Boyne, é sua perfeita manipulação de tempo/espaço. Em O Palácio de Inverno não poderia ser diferente. A história começa com um Geórgui já bem idoso com sua esposa Zoia, ele relembra seu passado sofrido como segurança do Czar. Ao navegar por essas lembranças, conhecemos uma história real, do último Czar que fora obrigado à abedicar seu reinado após a enorme decadência econômica da Rússia provinda de péssimos reinados e de um péssimo governo. Geórgui nos leva à conhecer toda a família do Czar, então nos é revelado o quão ruim era seu casamento e o quão fútil eram seus filhos, 4 meninas e um menino com uma doença rara, cujo sangue não coagulava normalmente, hemofilia que foi-se descoberta provinda da família da mãe, o que fez com que a família real ficasse mal falada em todos os lugares. Para quem conhece toda a história de Nicolau II, irá saber todo o destino do livro, desde o início até seu fim. Como a história real nos deixa confuso sobre a morte de 2 personagens, John Boyne nos dá essa mesma curiosidade em seu livro, nos deixando á mercê do que possa ter aontecido. Após um grupo de persogas serem mortas, policiais não conseguiram encontrar dois corpos, o que se originou em diversas dúvidas.

POLÍTICA
John Boyne sempre nos apresentou a política em suas históras, não no sentindo de sua preferência, mas no sentido de nos mostrar como a história aconteceu. Em O Palácio de Inverno vemos um Nicolau II governando como sempre fora ensinado: Porcamente. - Em seu governo os pobres eram o mais miseráveis possíveis, enquanto toda e qualquer membro de qualquer família real se serviam de prazer e do melhor dessa terra. O degradê entre os Reais e os demais era enorme, podemos ver em toda a história o povo passando fome e servindo às famílias reais, enquanto nos palácios haviam imensas festas e tinham regalias de tudo o que pensavam ter direitos. Em resumo, todos que não eram da família real, só serviam para servir ao Czar e qualquer um da família real. É impossível não criar revolta À medida em que a leitura avança. 

As damas se cobriam de jóias que usavam uma única vez e depois descartavam; os valalheiros enfeitavam suas espadas impotentes com rubis e diamantes.

Por enquanto é só galera, até mais!
---------------------------------------------------------

Título: O Palácio de Inverno
Autor: John Boyne
Editora: Companhia das Letras
Ano: 2010
Páginas:453

Nenhum comentário