A mulher demônio - Danilo Soares

A mulher demônio - Danilo Soares

Ela é fria no quesito amar e é quente no quesito viver. A mesma queima tudo por dentro. Taca fogo em todo seu espírito, queima tudo, absolutamente tudo ao redor com sua temperatura. É um poema moderno sem regra alguma. Seu jeito sincero de encarar o próximo é um espírito que te puxa, te mata e sequestra tua alma sem pena alguma. Ela é uma desgraça, um demônio que, usando a boca, te faz conhecer todo o caos que ela vive. Sua língua queima feito o calor nordestino, seu corpo vive sendo brasa.

Poderosa por ser metade sobrenatural e ao mesmo tempo humana.

Seu corpo mexe com o tesão tímido e inibido de outrem, é um isqueiro riscado na gasolina da inveja, é um vinho em dia de calor. Sua bunda... A sua bunda é um vulcão em erupção.

Ela é um demônio, 
É o inferno em pessoa.



Nenhum comentário