Sobre o Álbum Ritual da Souto Mc

Sobre o Álbum Ritual da Souto Mc


Souto Mc é uma rapper que exibe uma canção que conta com uma forma rítmica viciante e desigual, onde o orgulho caminha diante o sangue do ouvinte. Ela tem uma técnica de impactar com punchlines (linhas de soco) incrível e isso é muito notório.

Seu novo álbum, Ritual, exibe um grito que ecoa perante o sangue de quem escuta. Com foco na cultura indígena, Souto fez algo fantástico. Esse disco é uma obra de arte diferente, assim como todas as obras de arte devem ser. Aqui ela exibe todo o seu orgulho e luta pela cultura indígena em canções impactantes e as vezes até relaxantes, como é o caso das musicas: Altamira e Poente.



O disco Ritual começa com o poema Warakedzã que expressa amor e resistência indígena. O texto é declamado por Pedro Neto, que por sinal, recitou muito bem.

E "Caça e Caçadora" é a segunda faixa de Ritual. A música é bela e carrega metáforas incríveis que vão te fazer passar horas pensando e só depois de um tempo, o entendimento da canção brotará no cérebro. Também a construção da letra é algo formidável, como exemplo do verso:

"Tropeço em peças pensadas, montadas pelo próprio eu". Que mostra uma aliteração incrível com o som da letra "P". Esse verso ilustra bem o talento da Souto, pois seus outros trabalhos são nessa mesma "pegada", isto é, ela trabalha muito bem com trocadilho e aliterações nas letras.

No total o álbum contém 8 faixas com participações incríveis como: Pedro Neto,  Rodrigo Ogi, Jean Tassy, Bia Ferreira, Kunumi Mc e Nene Cintra.

- Minhas músicas favoritas desse álbum são: retorno e Farta e Fartura.

Contudo, Souto mostrou muito bem uma resistência indígena e fez uma coisa fantástica. Ritual já é um clássico.


Nenhum comentário