Simone Moreira – O Abacaxi de Uma Poetisa

Simone Moreira – O Abacaxi de Uma Poetisa

Um dia me deparei
Com um certo abacaxi,
Desses com a casca bem dura
Difíceis de consumir.
Eu tentava a todo o custo
Da fruta me apossar,
Mas como era difícil
O abacaxi superar,
Deixei-o no canto da mesa
E noutras coisas fui ocupar.
Mais tarde sentei à mesa
Pra tomar café
E escutei alguém chamando,
Pensei que agissem de má fé,
Mas, reparando, percebi
Era o abacaxi que queria prosear,
E bem depressa já me disse
"Moça deixa que eu vou te contar
Um segredo de família,
Que só abacaxi para entender,
Por fora a gente se machuca
Mas se você desistir
A vida perde o sentido,
Pois mesmo sendo um abacaxi,
Duro, áspero e difícil
Tenha a certeza que a moça
Não vai encontrar algo que por dentro
Seja mais doce do que eu
Vai ser difícil no começo
Mas depois o prêmio é doce
É tipo um favo de mel"
E agora a minha pergunta
Se dirige a você
Quantas vezes desistiu
Por difícil parecer?
A partir de agora, faça
Descasque seu abacaxi
E espere um doce de dentro
Vai fazer você sorrir.
— Simone Moreira

A doçura é sempre velada com uma crosta espessa de acanhamento e timidez, por vezes confrontada por nós mesmos no cerne de nós mesmos. Tal qual os mecanismos naturais para a autoconservação, o abacaxi, ele se fez robusto, eriçado — como Jesus Cristo, carrega consigo sua coroa de espinhos — e, no entanto, ele nunca perpetra qualquer instinto em ser amargo, pois a amargura é um despeito para os que não se mostram capazes de assimilar o próprio sentimento. Cabe-nos ser hirtos como sua couraça, para confrontar as intempéries que o tempo e a própria história enveredam em nossa direção, assim como doces internamente para não sermos conosco e com os outros o que os de amargo tem na essência.

Simone Moreira é graduanda em psicologia e nasceu em 06 de fevereiro de 2002 na cidade de Matozinhos, interior do estado de Minas Gerais. Aprendeu a ler antes dos cinco anos e desenvolveu paixão por clássicos brasileiros e internacionais, como a Cinderela e Dom Casmurro e, quase por predestinação, a poesia em geral.


2 comentários :