Diário Pessoal — Cristian Lima

Diário Pessoal — Cristian Lima

QUAL A MAIOR CENA DE TODA A HISTÓRIA?
A HISTÓRIA DEPENDE DE INTERFERÊNCIAS, E A MINHA INTERFERÊNCIA AFIRMA QUE TAL CENA É A MINHA.
HÁ MUITO — POSSO VOS DIZER — EU ME ENCONTRO POR DETRÁS DE MUROS. ESTES SÃO MUROS DE PALAVRAS. GOSTARIA DE PODER BRADAR MINHAS TRÊS COISAS: MEU AMOR, MEU DESDÉM E MEU ÓDIO, MAS PROSSEGUIREIS COM TEMOR E RECEIO — MAS PROSSEGUIREIS.

O MEU AMOR
MEU AMOR TEM DA PERFEIÇÃO REALISTA, QUE ME DIZ AO VER QUE AMO: "SE A AMAS, AME-A INTEIRA, AME-A POR CONHECÊ-LA EM TODOS OS TRAÇOS, ESSENCIALMENTE, AME-A EM TODOS OS SEUS ERROS". INFELIZ DOS QUE SEGUEM ESSA DOUTRINA, POIS, DE IMEDIATO, AO SE TER ALGUÉM, PENSA-SE — POIS QUE EXISTE PENSA — E QUEM PENSA CRIA IDEIAS — E AS IDEIAS, POR SEREM SUAS, RARAMENTE O MACHUCAM; FAZEM O OPOSTO, ILUDEM-NO.
NÃO HÁ CONVÍVIO QUE SUPRA A O TEMPO NECESSÁRIO PARA SE CONHECER EM TOTALIDADE OUTRO. SOBRETUDO, NÃO HÁ CONVÍVIO QUE LHE ENGAJE DE MENTE DE OUTREM. SENDO ASSIM, É INEXEQUÍVEL A TAREFA DE SE ESTUDAR TUDO ACERCA DE UM PARCEIRO, BEM COMO É IMPOSSÍVEL CONHECER CADA LUGAR DO MUNDO.
A CONCLUSÃO INEVITÁVEL É: TODOS SE ILUDEM E ILUDEM.
EU AMO UMA ROSA — E DE FATO, ESCREVO POEMAS EM DEMASIA SOBRE ROSAS E FLORES, MAS NUNCA AS VI; ELAS SÃO ADORNOS QUE NUNCA PUDE TOCAR. AMO-A, A DESPEITO DO QUE JÁ CITEI.
NELA MIRO UMA TROPA ÍGNEA CESSAR O INCÊNDIO EM MIM. SERÁ PÔR-LA CONFIANÇA UM ERRO? NÃO LHE RESPONDEREI COM MAIS QUE UM "FODA-SE. O QUE UMA FELICIDADE ETERNA E IMUTÁVEL VEIO BUSCAR EM MEU DESEJO EFÊMERO?".
O MEU TÍPICO AMOR, POR VIRTUDE, SE ILUDE E SE FERE, CONTUDO NOS DIAS EM QUE A PRIMAVERA CONFLUI E ME SINTO NOVAMENTE ARDENTE, AO MESMO QUE RECONFORTADO POR QUEM CORRESPONDA, POSSO TAMBÉM APEDREJAR — PORQUE "LOUCO MEU AMOR, QUE QUANDO TOCA, FERE E, QUANDO FERE, VIBRA, MAS PREFERE FERIR A FENECER — E VIVE A ESMO" (VINÍCIUS DE MORAES; SONETO DO MAIOR AMOR).
AS PEDRAS QUE ATIRO SÃO PINTADAS DE TODAS AS COLORAÇÕES PARA RECOBRIR A SUA VERDADEIRA COR.
EU TEMO!
NÃO HÁ COMO, NO AMOR, SER LIVRE E INDIFERENTE. AMAR É, TAMBÉM, DOAR-SE AO OUTRO POR ESCOLHA. O AMOR É UMA PRERROGATIVA RECÍPROCA. SE AMBOS AMAM E AMBOS SÃO AMADOS, OS PODER É MÚTUO, E É RAZOÁVEL PRESUMIR QUE NÃO HAVERÁ DEMASIADAS RETALIAÇÕES FUTURAS.
E HÁ OS QUE AFIRMAM AMAR, MAS JAMAIS ATUAM COMO AMANTES — NUNCA SE DÃO AO OUTRO; NÃO COMETEM SACRIFÍCIOS. ESTES SÃO OS AMANTES, NUNCA OS AMADOS.
MAS AMORES COMO O MEU SÃO EGOÍSTAS, INSENSATOS. SE ADENTRASSE UM AMOR QUE MACHUCA SERIA UM MAU CONSELHO, A PERCEPÇÃO DO MACHUCADO E A INTENÇÃO DE FUGIR E SE RESGUARDAR É UM CORISCO DE SI MESMO, UM "PENSAR EM SI", UM "EGOÍSMO". EIS O PROBLEMA: "SE AMAR É OFERECER A VIDA AO OUTRO, QUESTIONO 'O QUE É UMA DOR AO QUAL ME SUBMETO ANTE A VIDA QUE EU DEI AO MEU AMOR, ISTO É, O QUE É ESSE SOFRIMENTO ANTE O OBJETO DO MEU AMOR'".
O AMOR É PODER. E ESSA JORNADA SE BASEIA EM DOR E O QUE ME HÁ DE MEDO É QUE NÃO SUPOSTO SOFRER NO FLAGELO, REGOZIJO-ME DA DOR ALHEIA.
EU TALVEZ LHE DESSE MEUS RISOS TODOS PARA PERFAZEREM OS SEUS, TALVEZ LHE FOSSE INTEIRO SEU EM QUALQUER TANTO, PARA EM NOITE FATÍDICA VÊ-LA BERRAR, PORQUE TOCOU EM MEU AMOR. SER SÁDICO NÃO INDICA NÃO AMAR. O QUERER SOFRE FAZ DISSO UM SACRIFÍCIO, E EU PROCURO ALGUÉM PARA SE SACRIFICAR, PARA AMAR. SE NÃO FOSSE POSSÍVEL, VIR-ME-IAM AQUELAS A QUEM LANCINA O APRAZIMENTO.
O AMOR DELA POR MIM VIOLA AS MINHAS CÁTEDRAS. ELA NÃO ME CONHECE, E SE ME ACEITASSE, TODAVIA, NÃO HAVERIA SORRISOS EM VEZ DE TEMERÁRIO ESBOÇO. ESSE É MEU SIGILO. EM UMA RELAÇÃO, FAZ-SE IMPRESCINDÍVEL UMA PARTE DE EGOÍSMO PARA A PROTEÇÃO DO AMADO.

O MEU DESDÉM
MEU DESDÉM É PELO SANGUE. ESTE, AINDA QUE DESTRONADO, COMPELE À SUBMISSÃO AO QUAL SE DETÉM.
HÁ UM PÔR DO SOL INFELIZ QUE ABRIGA E FAZ AJOELHAREM TODOS OS ENTES. ATÉ OS MESQUINHOS, ARROGANTES E OS PAIS DO ABANDONO. NUNCA SE DEVE AMÁ-LOS APENAS PELO SANGUE. É TUDO MENTIRA. SEGUNDO ESSA TESE VAGABUNDA, TAIS MERECEM RESPEITO, MAS, POR SE TURNO, NÃO RESPEITAM. ELES TÊM O MEU DESDÉM.
QUE FAÇAM DO MEU ATO O QUE SUA CONSCIÊNCIA ORDENAR — DESDE ME EXCLUIR OU ME MATAR (PARA TRANSMITIR NO JORNAL MATINAL), ATÉ ME CONDENAR AO FOGO DO INFERNO.
TAIS ENTES NÃO SÃO MAIS QUE DITADORES OU JUÍZE,JULGADORES, MENDACIOSOS, DE UMA FRIA E FUNDAMENTALISTA MÁXIMA, A QUAL NINGUÉM SE PREZA A DESCOBRIR O AUTOR.
A MIM, NO ENTANTO, NÃO É IMPERIOSO NEM ÚTIL. MAS...ESPERE! O TERMO INÚTIL NÃO É ADEQUADO.ISTO, SIM, É ÚTIL.
O SANGUE É ÚTIL E, EM TODAS AS COISAS ÚTEIS, SEU VALOR ENCONTRA-SE FORA DE SI MESMO. O VALOR DAS COISAS INÚTEIS É MAIS VÁLIDO, POIS POR SER UMA QUALIDADE CONCERNENTE A VOCÊ. A UTILIDADE DO SANGUE É PRESERVAR UMA ORDEM MUNDIAL QUASE POR COMPLETO EMBASADA EM UM ÚNICO LIVRO, E ESSA ORDEM NÃO POSSUI NADA DE VERDADE UNIVERSAL. VERDADES ASSIM NÃO HÁ.
NÃO RESPEITO QUEM PARTILHA DO MEU SANGUE SENÃO POR SEU PRÓPRIO MÉRITO, MESMO PORQUE NÃO EXISTE. MEU SANGUE NUTRE APENAS A MIM. EU RESPEITO APENAS QUEM SE DÁ O MESMO RESPEITO.
QUE SEJA O SANGUE APENAS VERMELHO, NADA ALÉM DE UM TRAÇO FISIOLÓGICO. EU DESDENHO TODA E QUALQUER CONJECTURA QUE SE AFIRME COMO VERDADE. DESSE PONTO, NASCERÁ TODO O FUTURO.

O MEU ÓDIO
O MEU ÓDIO NADA ENSINA A QUEM NÃO SEJA EU. A CARACTERÍSTICA DESTRUTIVA DO SENTIMENTO DE FÚRIA O FAZ REPULSIVO, NÃO É? MAS E QUANTO AOS OUTROS. O ÓDIO E O SENTIR DERRADEIRO DE OUTRO SENTIMENTO, ANTES TIDO COMO BOM.
NÃO É ADEQUADO JULGAR QUEM O SENTE. TALVEZ ESTE O SINTA TÃO SOMENTE EM MAIORES NÍVEIS VOCÊ. POR QUE OCULTAR O FATO DE QUE A IRA TEM ONIPRESENÇA NO HOMEM, E POR QUE OMITIR O VALOR DESTA PARA O MUNDO.
EU CAREÇO DE UM COMPREENSÃO MAIS NÍTIDA E, ENTRETANTO, VEJO O VALOR DA RAIVA. QUALQUER OUTRO AMOR, DESEJO, NOJO E FELICIDADE SENTE-SE COMO ALGO POSITIVO E CORRETA, AFÁVEL. VOCÊ JÁ TIROU BANANA DE UM CHIMPANZÉ, OSSO DE UM CANINO? O ÓDIO, POR VEZES, É RETALIAÇÃO, O MAL QUE, INCRIVELMENTE, BUSCA O BEM.
AQUELE QUE TIRA O QUE AMAMOS OPTOU POR TOCAR, OPTOU POR CONSIGO MEXER. O JUSTO É DAR-LHE UMA PARTE DO NOSSO ÓDIO.

Nenhum comentário