Poema de amor em 2020

Poema de amor em 2020

No último segundo de vida do sol
Encontro mares de prazeres,
Amo-me, porque o suicidio me ama mais,
 Penso em ti ao olhar de mim
E, pensando em mim... 
Eu...Sou feliz graças à Erasmo de Roterdão,
Por mandar-me buscar a loucura,
Que por sinal de um pássaro voando numa baía,
Encontrei-a cantando em sua íntima pupila.
Louca doce e má do insta,
Likes para ela que constrói sem ser engenheira,
Louca, joão de barro?
Arlequina? Não, não,
Louca original, man',
Louca e sábia, livre como sabiá,
Bandida, Catwoman,
Depois do covid, odeia o morcego.
Em seu corpo magro,
Ela mia o tesão de seu prazer
Queimando as dores do mundo,
Ela é declamada por Schopenhauer,
Depois é molhada pelos versos de mim,
Ela quem é?
Mil análises fazem dela tímida,
Mas se feitas por mim, fazem dela mui grande,
Que mulher é essa, Deus?

Danilo Soares




 
 

Nenhum comentário