Sorriso de Saturno dela - Poema - Danilo Soares

Sorriso de Saturno dela - Poema - Danilo Soares

De mim arrancas tu belos vocábulos,
Arte pela arte, verde pelo verde,
O desejo das linhas, dos vínculos,
Da quimera que em lugar algum perde.

E de ti arranco para mim os céus
Da dança, do lume e do dia de música.
E nada se perde em tu'alma de deus
- Esta qu'eles veem como cousa única.

És tu, ó livre ave das latitudes,
O ser que almeja os aneis de saturno,
E eu sou quem os anéis vai lá buscar.

Pois por teu riso, por tuas virtudes,
Até mesmo o divino em qualquer turno
Arranja tempo pra te presentear.

 

Danilo Soares  


Nenhum comentário