Algo a Dizer a Todes

Algo a Dizer a Todes


A sua causa existe há milênios. A sua opinião existe há poucas décadas. A vida é feminina; e o seu mundo, masculino. A lua é uma dama porque, sim (por quê, não?). A rainha Língua Portuguesa não se deixa enganar pelos alaridos de uma classe que se corta até nas sílabas. Ela, assim como eu, tem mais o que fazer e o que reclamar do que ouvir uma profusão de vozes troarem na porta de casa, afirmando que A Porta é a "ume porte". Não é que não importe, mas que importe possui a vossa opinião perante à beleza da imperfeição. Se a história é algoz, o futuro é esperança. Não importa quanta escuridão existiu no passado, ela apenas anunciou a esperança.

E, para todes que creem também na imparcialidade de tude, na limpeza e na neutralidade das opiniões, na insolubilidade das ideias eu digo "viva os homens-bomba" porque a minha neutralidade me obriga a não julgar as crenças doentias. Por mais que vos afete, não é obrigação de ninguém cumprir o papel de ser o lenço das suas lágrimas. A decisão é uma tomada que parte de vossa mercê, antes mais, quando lhe perguntam quem é você, você responde "eu sou eu" e quem quer seja será. Por obséquio, não impinjam vossas vontades aos ouvidos de quem não deseja ouvir (por simplesmente já prever a asneira que será expelida).

Um idioma é somente um veículo de comunicação de ideias, e não as ideias em si. Que se esclareçam bem os pronomes. Os neutros não têm sexo, não têm órgãos genitais. Eu mesmo nunca vi um pronome trans ou uma "pronoma", mas que bom que o Brasil possui uma excelente educação por parte de professores que acreditam na Terra Plana, no Bolsonaro, em outras coisas que parecem chover de alguma nave ambulante em formato de nádega. Eu simplesmente desejo que seus dialetos sejam um sucesso e, quando quiserem que seja algo oficial, que possam criar o seu próprio país e, enfim, façam as vontades que lhe couberem, mas eu não sei... A maioria pode não ter dinheiro para bancar os impostos dessa nação irrisória.

Nenhum comentário