Soneto de amor - Danilo Soares

Soneto de amor - Danilo Soares

Sensação endeusável é o vosso pré-beijo.
Tão bem espantoso, todavia, manso.
Tão ritmado, exibindo seus desejos.
Um "eu quero mais" mesmo no descanso.

Tocando vosso íntimo volupioso,
Canto na vossa língua luxuriosa.
E estando como um anjo alegroso,
Canto essa nossa rima caprichosa.

É doce, mas doloroso. Ah! Essa dádiva.
Como são inúteis de belo os amores.
Sim. Coisa doce, ao mesmo tempo ácida.

O beijo acaba. Quem será José?
"Não amará Maria como amou Dolores".
Pois o beijo de Dolores ainda é. 

- Danilo Soares



Nenhum comentário